Caminhos de ferro

Greve de maquinistas da CP já levou ao cancelamento de 323 comboios

A CP prevê que a circulação volte à normalidade na quarta-feira
Foto
Governo vai recandidatar este ano a linha Aveiro-Mangualde Público

A CP assegurou a circulação de 88 comboios, mais 11 do que o previsto pelos serviços mínimos, disse a porta-voz da empresa, adiantando que a greve dos maquinistas já levou ao cancelamento de 323 composições.

“Os serviços mínimos estão a ser cumpridos, tendo sido realizados 77 comboios, que eram os que tinham sido decretados pelo Tribunal Arbitral”, afirmou Ana Portela.

Além destes, a CP assegurou a circulação de mais 11 comboios: um intercidades e os restantes regionais.

De acordo com a responsável, até às 14h00, a greve desta terça-feira, dos maquinistas já tinha levado à supressão de 323 dos 411 comboios previstos.

Durante o dia de hoje, a transportadora ferroviária espera conseguir assegurar a circulação de 162 comboios dos 841 que deveriam circular, caso não houvesse greve.

Estes 162 comboios, que equivalem a cerca de 19 por cento da oferta normal da empresa, correspondem aos serviços mínimos decretados pelo Tribunal Arbitral.

Os maquinistas estão hoje em greve em protesto contra o trabalho em dia de feriado (o Acordo de Empresa consagra o carnaval como feriado) e os efeitos da paralisação começaram a sentir-se na segunda-feira à noite.

O Sindicato dos Maquinistas contesta os processos disciplinares alegadamente ilegais interpostos pela CP pelo incumprimento de serviços mínimos em greves anteriores.

A CP prevê que a circulação volte à normalidade na quarta-feira.

Título corrigido às 16h26

: Substituiu-se "camionistas" por "maquinistas"

Sugerir correcção