Reunião mensal

BCE anuncia novas medidas para ajudar os bancos

BCE estende novamente a mão aos bancos
Foto
BCE estende novamente a mão aos bancos REUTERS/Alex Grimm

Empréstimos ilimitados a 3 anos, redução das exigências de rating nos colaterais e aceitação de empréstimos como garantias pelos bancos centrais nacionais são algumas das medidas anunciadas nesta quinta-feira pela autoridade monetária europeia.

Para o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, estas medidas irão assegurar mais acesso do sector bancário a liquidez e facilitar o funcionamento do mercado monetário da zona euro. Isto permitirá, por sua vez, aumentar o fornecimento de crédito à economia, tanto às famílias como às empresas.

Depois de anunciar uma descida da taxa de juro directora para 1% – igualando o nível mínimo que vigorou durante 2009 e o início de 2010 –, Mario Draghi deu a conhecer novas medidas para ajudar o sistema bancário da zona euro.

A instituição passará a fornecer empréstimos ilimitados aos bancos europeus a três anos, enquanto, actualmente, apenas pode conceder liquidez por um prazo máximo de um ano. A primeira operação será realizada a 21 de Dezembro.

Além disso, o BCE anunciou também que vai diminuir as exigências de rating nos activos que os bancos dão como colateral em troca dos empréstimos do BCE, permitindo assim que as instituições financeiras consigam financiar-se mais facilmente. Os bancos centrais nacionais passarão também a poder aceitar determinado empréstimos feitos aos bancos como colaterais. Os critérios ainda serão definidos e, segundo Draghi, o aval terá de ser dado pelo BCE.

A autoridade monetária irá também reduzir o rácio de reserva exigido aos bancos de 2% para 1%, por considerar que o sistema de reservas não precisa de funcionar dentro das condições normais neste momento.

Sugerir correcção