Ministro fala em "equidade social na austeridade"

Vítor Gaspar garante que não há excepções aos cortes de subsídios

Ministro lembrou que os cortes nos subsídios de férias e Natal são temporários
Foto
Ministro lembrou que os cortes nos subsídios de férias e Natal são temporários Nuno Ferreira Santos/arquivo

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, garantiu hoje no Parlamento que nenhum funcionário público escapará ao corte dos subsídios de férias e Natal, incluindo deputados e trabalhadores da administração local.

“Não haverá qualquer excepção”, assegurou o ministro das Finanças, durante uma audição no Parlamento no âmbito do debate na especialidade do Orçamento do Estado (OE) de 2012.

As afirmações de Vítor Gaspar surgiram na sequência de uma questão colocada pelo deputado do PSD, Nuno Reis, sobre as várias notícias que têm circulado sobre “excepções” aos cortes dos subsídios. Em causa estariam não só os trabalhadores da Assembleia da República, mas também assessores recém-nomeados e, inclusive, funcionários autárquicos, em alusão ao presidente da Câmara de Barcelos, que já disse que quer compensar os cortes salariais aos seus trabalhadores.

Vítor Gaspar salientou que a não existência de excepções é um ponto “crucial para a percepção da equidade social na austeridade” e reiterou que os cortes nos subsídios de férias e Natal para funcionários públicos e pensionistas – prevista no OE para 2012 e 2013 – “é uma suspensão temporária, durante o período de vigência do programa de ajustamento económico-financeiro”.