Crise na zona euro

Comissária da Justiça sugere desmantelamento da Standard & Poor’s, Moody’s e Fitch

Francois Lenoir/ Reuters (arquivo)
Foto
Francois Lenoir/ Reuters (arquivo)

A comissária europeia para a Justiça, Viviane Reding, propôs hoje o desmantelamento das três principais agências de rating norte-americanas, a Standard & Poor’s, Moody’s e Fitch, em declarações ao jornal alemão Die Welt.

“A Europa não pode permitir que o euro seja destruído por três empresas privadas norte-americanas”, disse a comissária luxemburguesa, exigindo mais transparência e mais concorrência na avaliação de Estados pelas referidas agências.

“Só vejo duas soluções, ou os Estados do G-20 decidem desmantelar o cartel das três agências de rating norte-americanas, e de três agências fazer seis, por exemplo, ou criar agências de rating independentes na Europa e na Ásia”, acrescentou Reding.

A controvérsia em torno das agências de rating em questão – que têm sede em Nova Iorque e, por isso, estão fora da esfera de poder da União Europeia – reacendeu-se na semana passada, depois de a Moody’s ter baixado em quatro níveis a notação da dívida pública de Portugal, passando a classificá-la como lixo.

A referida agência alegou que Portugal irá precisar de um segundo pacote de ajuda externa, tal como a Grécia, o que gerou vários protestos, sobretudo porque o novo Governo de Pedro Passos Coelho se comprometeu a ir além do plano de austeridade negociado há poucas semanas com a União Europeia e com o Fundo Monetário Internacional.