Entrevista à Reuters

Passos Coelho diz que Governo pode ir além das medidas da troika

O PSD venceu ontem as legislativas com 38,6 por cento dos votos
Foto
O PSD venceu ontem as legislativas com 38,6 por cento dos votos Daniel Rocha

O líder do PSD reafirmou, em entrevista à agência Reuters, o compromisso de Portugal para com os termos do programa de ajustamento financeiro disse que o próximo Governo pode ir além das metas acordadas com a UE e o FMI.

“Não queremos ser um peso para os nossos parceiros [europeus], nem mais um dia, nem mais um segundo”, afirmou Pedro Passos Coelho, dizendo que “Portugal precisa de voltar a criar uma onda de confiança nos mercados”.

Passos prometeu cumprir o programa acordado com a troika e admitiu mesmo “surpreender e ir mais além [das metas] do acordo”.

Portugal, disse, fará “aquilo que for necessário, durante o tempo que for necessário, para as medidas mais importantes poderem ser tomadas de modo a que todos os prazos previstos no acordo com a UE e o FMI possam ser respeitados”.

À agência britânica, Passos explicou que o executivo, que apresentará “em tempo recorde”, vai apostar em “mais concorrência, num processo de privatizações que seja transparente”, aludindo ao programa eleitoral do PSD.

As negociações com o CDS para a formação de uma coligação de direita, disse, “deverão ser muito rápidas” para o Governo entrar em funções e poder avançar com a implementação das reformas que o calendário da troika prevê para os próximos meses.

Notícia actualizada às 16h22
Sugerir correcção