Ambiente

Afluentes do Douro repovoados com trutas em Baião

A intervenção realiza-se nos afluentes do rio Douro
Foto
A intervenção realiza-se nos afluentes do rio Douro Manuel Roberto (arquivo)

Técnicos da Direcção-Geral de Florestas vão realizar hoje, nos rios Ovil e Teixeira, no concelho de Baião, uma acção de repovoamento com milhares de trutas.

Segundo um comunicado do município, "esta acção visa trazer mais vida a estes rios praticamente selvagens", afluentes do Douro.

A ideia partiu da Câmara Municipal de Baião e prevê a instalação em vários pontos destes cursos de água de recipientes com óvulos de truta. "Ao fim de poucos dias, os milhares de óvulos deverão eclodir, soltando naqueles cursos de água milhares de novos habitantes", assinala o comunicado da autarquia.

Nesta acção vão participar autarcas das freguesias, crianças em idade escolar, pescadores do concelho e representantes de associações ambientais. Segundo a fonte camarária, "esta medida insere-se na política geral de preservação ambiental de Baião, o concelho com maior percentagem de áreas verdes em todo o distrito do Porto".

A Câmara de Baião integra um projecto nacional da associação ambientalista Quercus para avaliação do impacte ambiental do seu território. Segundo autarquia, "a iniciativa Eco-Saldo visa calcular a pegada ecológica do território e verificar se este é um concelho "ecodevedor" ou "ecocredor", ou seja, "amigo do ambiente ou poluidor". No âmbito deste estudo, são avaliados os territórios dos concelhos de Baião, Seia, Manteigas e Vila Franca de Xira. O projecto conta com a participação de dez entidades, incluindo centros de investigação das universidades Católica, do Porto e de Lisboa. A Quercus conta ainda com a colaboração, nesta iniciativa, do Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade.

Nos últimos quatro anos, o município liderado pelo socialista José Luís Carneiro acentuou o processo de reflorestação e repovoamento da fauna e flora autóctones, tendo sido plantadas 6500 árvores.

Sugerir correcção