Penalizada por queda do consumo

Economia portuguesa deverá contrair 1,8 por cento em 2011 segundo a S&P

REUTERS/José Manuel Ribeiro
Foto
REUTERS/José Manuel Ribeiro

A Standard & Poor's (S&P) considera que a economia portuguesa deverá contrair 1,8 por cento no próximo ano, penalizada pela queda do consumo que resultará do aumento dos impostos e das restrições no acesso ao crédito.

Num relatório divulgado esta tarde, a agência de notação financeira considera que as medidas de austeridade anunciadas recentemente pelo Governo são um "passo crítico" para estabilizar a dívida pública portuguesa.A agência sustenta que um cenário de incumprimento da economia nacional "permanece extremanente baixo" e diz esperar que o Governo português continue a tomar medidas para consolidar as contas públicas, se necessárias.

A S&P revela que sem a contabilização da receita extraordinária gerada pela transferência do fundo de pensões da PT para o Estado (2.600 milhões de euros), o défice orçamental português em 2010 seria de 8,8 por cento, acima do limite de 7,3 por cento definido pelo Governo.

As exportações deverão dar o único contributo para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) português nos próximos dois anos, segundo a S&P. Mas a agência nota que a exposição a Espanha representa um risco acrescido para Portugal, particularmente se a economia espanhola se mantiver estagnada em 2011-2013, como esperado.

notícia actualizada às 17:34