Paralisação de três dias do pessoal de cabina

Greve da Sata Internacional leva ao cancelamento de dois voos e atraso

Fotogaleria
PUBLICO.PT
Fotogaleria

Dois voos cancelados e um atrasado é o resultado da greve do pessoal de cabina da Sata Internacional, que começou hoje e que se vai estender até ao próximo domingo, anunciou uma fonte da transportadora açoriana.

A mesma fonte adiantou à Lusa que, até à tarde de hoje, a greve obrigou ao cancelamento de um voo de Lisboa para o Funchal, na Madeira, assim como uma segunda ligação no percurso inverso.
Além disso, o voo entre a capital portuguesa e a ilha Terceira, nos Açores, planeado para sair de manhã, sofreu um atraso, acrescentou a fonte.

Os tripulantes de cabina da transportadora aérea açoriana estão durante três dias em greve, a qual foi convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), alegando o incumprimento de várias cláusulas do Acordo de Empresa.

Com a paralisação, o SNPVAC pretende que a companhia cumpra o Acordo de Empresa, em matérias como os períodos de assistência, número de tripulantes por voo e lugares de descanso nos voos de longo curso.

Tripulantes "sem certificado"


Em declarações à Lusa, Cristina Vigon, presidente daquele sindicato, afirmou que dois voos da Sata Internacional (de Ponta Delgada para Dublin e para Viena) "saíram com alguns tripulantes que não tinham farda" e outros "sem certificado de tripulante", situações que considera ser "contra a lei".



Cristina Vigon disse igualmente que a Sata Internacional "está a pressionar trabalhadores contratados a prazo para realizarem voos" e tripulantes de cabina para irem como chefes de cabina, o que também "é contra a lei nacional e internacional".



Além disso, a Sata Internacional procurou substituir os tripulantes de cabina por "contratados a prazo", adiantou Cristina Vigon, acrescentando que esse pessoal foi contratado já depois de lançado o pré-aviso de greve pelo sindicato do sector.


Perante isso, a presidente do SNPVAC avançou ainda que a estrutura sindical está a remeter queixas para o Ministério do Trabalho, Inspecção-Geral de Trabalho, Instituto Nacional de Aviação Civil e autoridades de outros países.
Contactada pela Lusa, a Sata Internacional explicou que foi "feito um planeamento reforçado de tripulações" para este período, acrescentando ter planeado 21 voos para hoje.

A fonte da transportadora aérea açoriana rejeitou pressões junto dos trabalhadores, argumentando que, com o aproximar do Verão e à semelhança de anos anteriores, ingressaram na companhia muitos contratados a prazo, que estão a ser escalados como os efectivos.