Para regular a crise institucional

Presidente moldovo assina decreto de dissolução do Parlamento

O Presidente moldovo, Petru Lucinschi, assinou hoje o decreto de dissolução do Parlamento e fixou oficialmente para 25 de Fevereiro as eleições antecipadas.

De acordo com o porta-voz da presidência da Moldova, Anatoli Golia, citado pela AFP, o Parlamento será dissolvido a 12 de Janeiro, altura em que o decreto entra em vigor.A decisão, prevista na Constituição, deve permitir regular a crise institucional resultante da incapacidade de o Parlamento designar um Presidente em quatro voltas de escrutínio.
O mandato de Lucinschi acaba a 15 de Janeiro, mas segundo a Constituição deverá assegurar a presidência até à eleição do seu sucessor pelo novo Parlamento.