Tiros de aviso disparados após violação da fronteira pela Coreia do Norte, diz Seul

Soldados norte-coreanos que estavam envolvidos em trabalhos não especificados no lado norte da fronteira cruzaram brevemente a linha de demarcação militar no domingo.

Foto
Fronteira inter-coreana perto da zona desmilitarizada que separa as duas Coreias em Paju, Coreia do Sul Kim Hong-Ji / REUTERS
Ouça este artigo
00:00
02:01

Soldados da Coreia do Sul dispararam tiros de advertência depois de tropas do Norte terem violado a fronteira, admitiu o exército sul-coreano.

Alguns soldados norte-coreanos que estavam envolvidos em trabalhos não especificados no lado norte da fronteira cruzaram brevemente a linha de demarcação militar no domingo, disse o Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS, na sigla em inglês).

Os soldados regressaram ao território norte-coreano depois dos militares da Coreia do Sul terem disparado tiros de advertência e emitido transmissões de alerta, disse o JCS, que sublinhou que o regime de Pyongyang não realizou quaisquer outras actividades suspeitas.

A fronteira terrestre entre as duas Coreias é a mais militarizada do mundo, com centenas de milhares de tropas de combate e mais de 800 mil minas, um legado da Guerra da Coreia, entre 1950 e 1953, que terminou com um armistício e não com um tratado de paz.

O incidente aconteceu no mesmo dia em que Coreia do Norte voltou a lançar cerca de 310 balões carregados de lixo através da fronteira sul. E horas depois de a irmã do líder norte-coreano, Kim Jong-un, ter prometido “uma nova resposta” à propaganda de Seul contra o regime da Coreia do Norte através de altifalantes ao longo da fronteira, descrevendo a situação como “muito perigosa”.

Para Kim Yo-jong, citada pela agência de notícias oficial norte-coreana KCNA, o relançamento da campanha sul-coreana é “um prelúdio de uma situação muito perigosa”.

A Coreia do Sul anunciou o recomeço da transmissão de propaganda em altifalantes contra o regime norte-coreano na fronteira entre os dois países, em resposta aos envios de balões cheios de lixo.

A decisão foi aprovada pelo Conselho de Segurança Nacional da Coreia do Sul, no final de uma reunião de emergência, no domingo, com Seul a acrescentar que “a responsabilidade por qualquer escalada de tensão entre as duas Coreias recairá inteiramente sobre a Coreia do Norte”.

Desde 28 de Maio, a Coreia do Norte enviou mais de 1300 balões cheios de lixo e resíduos através da fronteira entre as duas Coreias, em resposta à propaganda enviada por refugiados e desertores norte-coreanos contra Kim Jong-un

Sugerir correcção
Ler 2 comentários