Israel: ex-chefe da Mossad ameaçou procuradora do TPI que ponderava investigar crimes de guerra

Yossi Cohen, que agia como “mensageiro não oficial” de Netanyahu, usou “tácticas desprezíveis” contra Fatou Bensouda, incluindo ameaças à sua família.

Foto
Yossi Cohen era um aliado próximo de Netanyahu Corinna Kern/Reuters
Ouça este artigo
00:00
05:40

Foi a investigação iniciada em 2021 pela então procuradora-chefe do Tribunal Penal Internacional, Fatou Bensouda, que culminou, na semana passada, no pedido de emissão de mandados de captura para Benjamin Netanyahu e para o seu ministro da Defesa, Yoav Gallant, por crimes de guerra e contra a humanidade. Nos anos que antecederam a abertura do inquérito, o então chefe da Mossad, Yossi Cohen, liderou uma “guerra” secreta contra o TPI e, em particular, contra Bensouda, no âmbito de um esforço mais alargado de Netanyahu e de Donald Trump para “pressionar pública e privadamente a procuradora e a sua equipa”.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 28 comentários