PS viabiliza governo minoritário da AD. Falta saber se assegura estabilidade política

Ao garantir que não inviabiliza um executivo minoritário de Montenegro, Pedro Nuno recusa, na opinião de Jalali, um cenário como o de 2015, em que Costa derrubou Passos com o apoio da esquerda.

Foto
O momento do debate com mais espectadores foi quando os dois líderes falaram sobre governabilidade futura. Nuno Ferreira Santos
Ouça este artigo
00:00
05:56

A clarificação que Pedro Nuno Santos trouxe para a campanha ao afirmar que não apresentará nem viabilizará qualquer moção de rejeição se houver uma vitória da AD não parece dar, no entanto, qualquer garantia sobre a estabilidade política para este ano. Esse é, pelo menos, o entendimento dos politólogos ouvidos pelo PÚBLICO, que aludem ao facto de o líder do PS ter recusado taxativamente comprometer-se com um primeiro Orçamento do Estado (OE) – como seria de esperar. Além disso, não se sabe qual será o entendimento do Presidente da República sobre um eventual chumbo do OE do próximo ano – se dissolve o Parlamento, como em 2021, ou se tenta obrigar os partidos a entenderem-se.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 31 comentários