“Queria que as minhas fotografias parecessem uma parte da vida, e não uma interrupção”

Enquanto assinava fotografias em revistas de alcance mundial, Emma Hardy captava o seu quotidiano mais íntimo. O livro e a exposição Permissions mostram esses dois mundos num fino equilíbrio.

Foto
Permissions é o registo terno e íntimo de uma mãe em trânsito e do seu esforço para estar o mais perto possível dos filhos, da família Emma Hardy

Ao longo dos últimos 20 anos, Emma Hardy foi atravessando não uma, mas várias cordas esticadas — às vezes, várias cordas esticadas ao mesmo tempo. De um lado, o quotidiano de uma vida familiar, ser mãe, ser filha, arrebanhar três filhos, cuidar e estar com eles, vê-los crescer, abraçá-los, amá-los; do outro, a construção de uma carreira como fotógrafa, constantes deslocações, deslaçamentos, pequenas ou grandes interrupções e constantes “vou-ali-e-já-venho”, tudo para que o seu trabalho se começasse a fazer notar e a espalhar-se por muitos dos principais títulos da imprensa mundial (Vanity Fair, Vogue, Rolling Stone...).

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Comentar