Professores apelam à intervenção de Marcelo, o “guardião da Constituição”

“Vamos unir simbolicamente o Ministério da Educação, na Avenida Infante Santo, ao Palácio de Belém”, disse o líder do Stop sobre a marcha de sábado. Sindicato vai pedir audiência com PR.

Foto
Milhares de professores concentraram-se na sexta-feira em frente ao Ministério da Educação, em Lisboa Rui Gaudencio

O Sindicato de Todos os Profissionais da Educação (Stop) desafiou esta segunda-feira o Presidente da República a pronunciar-se sobre a escola pública e “o atentado ao direito à greve”, disse o dirigente sindical André Pestana. No mesmo dia, foi publicada uma petição online de apelo à intervenção de Marcelo Rebelo de Sousa na educação, que até à publicação deste artigo já contava com mais de quatro mil assinaturas. “Se nos ouvir e agir, talvez esse seja um dos momentos históricos da sua Presidência”, escrevem os peticionários.

Sugerir correcção
Ler 27 comentários