Um cordão humano constituído por cerca de 1500 professores e educadores desfilou do Ministério da Educação até São Bento onde chegou pelas 17h20.

  • Um cordão humano constituído por cerca de 1500 professores e educadores desfilou do Ministério da Educação até São Bento onde chegou pelas 17h20.

  • Iniciativa da Fenprof deverá reunir cerca de 1500 pessoas para reivindicar o descongelamento das carreiras em Janeiro, a aposentação ao fim de 36 anos de serviço, sem penalização, e uma revisão dos horários de trabalho.

  • Dezenas de docentes protestaram esta quarta-feira em frente ao Ministério da Educação. Em causa estão 67 professores do ensino artístico especializado público que reúnem condições para o efeito.

  • Congelamento das carreiras, mudanças no currículos, horários de trabalho, estão entre os motivos apontados para novas acções da estrutura sindical.

  • Fenprof dá luz verde ao novo perfil do aluno, mas alerta que o documento será apenas um instrumento de "propaganda" se os professores foram envolvidos na mudança que este preconiza.

  • Inquérito da Fenprof vem confirmar que os horários de trabalho são "um dos maiores problemas" dos docentes.

  • Federação critica a possibilidade de “ingerência dos municípios” em matérias que devem ser de exclusiva gestão da administração escolar, como a realização de obras, o fornecimento de refeições e a acção social escolar

  • Inquérito da Fenprof a 25 mil docentes. Resultados mostram que mais de nove em cada dez discordam do actual modelo de gestão das escolas.

  • Governantes que não façam da política uma palhaçada não podem esquecer, no Governo, aquilo que defenderam na oposição.