O IVA do chá – ou uma infusão de desvairada burocracia

O chá branco, o chá Pu-erh e a tisana da colecção do PÚBLICO pagam apenas 6% de IVA, enquanto o chá verde, o chá preto e o chá Oolong pagam 23%.

Lembram-se do caso do pepino? O pepino ficou famoso nos anos 90, quando a burocracia comunitária se tornou alvo de chacota generalizada. Para ser comercializado na categoria “extra”, a legislação da UE (regulamento comunitário 1677/88) exigia que o pepino europeu fosse “bem formado e praticamente direito”, com uma curvatura que não excedesse “altura máxima do arco de 10mm por10 cm de comprimento”. As ressonâncias penianas do caso do pepino ajudaram a popularizá-lo, e o grande Hans Magnus Enzensberger até escreveu um livro delicioso sobre a burocracia na Europa intitulado O Afável Monstro de Bruxelas ou a Europa sob Tutela, no qual o pepino e outros exemplos de absurda sofreguidão regulamentar ocupavam lugar de destaque.

Sugerir correcção
Ler 66 comentários