Crédito à habitação: valor médio da taxa fixa já duplicou para 4,1%

Euribor continua a dominar a grande maioria dos novos empréstimos concedidos em Outubro e taxa a seis meses volta a liderar, mesmo garantindo menor estabilidade.

Foto
Portugueses continuam a pedir pouco crédito à habitação a taxa fixa porque esta é mais elevada Daniel Rocha

Os dados do crédito à habitação contratado em Outubro confirmam a forte subida das taxas de juro, porque boa parte dele (83%) continua associado às Euribor, que registaram fortes subidas nos últimos meses, e porque as taxas fixas apresentam igualmente valores elevados, que se têm agravado substancialmente ao longo de 2022. Apenas o montante dos novos empréstimos caiu ligeiramente.

Sugerir correcção
Comentar