Década de 1980: os Portos de um Douro que começava a mudar

Uma prova promovida pelo IVDP com Colheitas e Vintages da década de 1980 propiciou uma visita ao tempo em que o Douro começou a apostar nos vinhos tranquilos e a reinventar as suas vinhas.

Foto
JOSÉ GAGEIRO

“Ternura” não é propriamente um descritor apropriado para um Porto Vintage, mas quando se provam esses vinhos que estão a celebrar os 40 anos de vida pode-se conceder na linguagem e dar conta que há no seu perfil algo que emociona. Quanto mais não seja porque a década de 1980 encerrou definitivamente um ciclo da viticultura e do modo de vida do Douro e os seus vinhos podem ser considerados como o último testemunho de uma outra era. Em 1982, nasceu a denominação de origem DOC Douro e em 1983 foi assinado com o Banco Mundial um programa de financiamento que previa a plantação de 2500 novos hectares de vinhas e a reconversão de 300 existentes. Daí para a frente, nada foi como dantes.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários