Dois terços da ajuda prometida por Siza Vieira na pandemia ficaram pelo caminho

Resposta do Ministério da Economia em 2020 e 2021 foi muitas vezes “inútil” e não teve em conta as necessidades, diz Tribunal de Contas. Risco das garantias dadas pelo Estado gera preocupação.

Foto
Pedro Siza Vieira foi ministro da Economia do governo de António Costa até Março de 2022 Nuno Ferreira Santos (Arquivo)

A reacção do Estado ao impacto adverso da pandemia sobre a economia foi fraca e cheia de propaganda. Quem o diz, por outras palavras, é o Tribunal de Contas, numa auditoria às medidas conduzidas pelo Ministério da Economia entre 2020 e 2021, quando era dirigido por Pedro Siza Vieira, que saiu do Governo após as legislativas deste ano e regressou à advocacia para assessorar empresas.

Sugerir correcção
Ler 17 comentários