A Igreja portuguesa e a pedofilia: uma desgraça sem fim

Há muita gente em negação, mais preocupada em proteger a honorabilidade da Igreja do que a saúde das suas vítimas.

Durante demasiado tempo, a Igreja portuguesa quis convencer-nos de que era uma ilha de salubridade no meio do oceano das notícias de pedofilia que devastaram a Igreja Católica nos últimos 20 anos. Não faltam exemplos desse intenso desejo de ignorar o problema em Portugal, mas nenhum tão colorido quanto aquele que D. Manuel Linda partilhou connosco há três anos. Na altura, o bispo do Porto opunha-se à criação da Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica, e usou este argumento: “Ninguém cria uma comissão para estudar os efeitos do impacto de um meteorito na cidade do Porto. É possível que caia aqui um meteorito? É. Justifica-se uma comissão dessas? Porventura, não.”

Sugerir correcção
Ler 65 comentários