Ucrânia soma sucessos no terreno, numa “corrida contra o tempo”

Kiev pode em breve reconquistar pontos estratégicos no Donbass e até cercar Kherson. Mas é provável que Moscovo acabe por tirar benefício da mobilização ordenada por Putin e consiga travar a contra-ofensiva.

Foto
Todos os dias há mais recrutas a preparar-se para ir para a Ucrânia EPA/MAXIM SHIPENKOV

“Bem, agora é oficial: começou a libertação da região de Lugansk.” A afirmação, feita quarta-feira no Telegram pelo governador ucraniano da província, Serguei Haidai, pode parecer exagerada – afinal, Lugansk continua quase na sua totalidade sob controlo russo –, mas não deixa de ser tão factual como todos os avanços recentes das tropas de Kiev. “As Forças Armadas da Ucrânia libertaram mais de 400 km2 da região de Kherson desde o início de Outubro”, afirmou esta quinta-feira a porta-voz do comando militar do Sul, Natalia Goumekiouk, contabilizando assim as últimas conquistas.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários