Como Marcelo pressionou Costa para dar autonomia à direcção executiva do SNS

Logo na promulgação do Estatuto do SNS, Marcelo sinalizou as suas preocupações. O Governo respondeu-lhe a quase todas, excepto como vai conciliar os agrupamentos dos centros de saúde com a descentralização.

Foto
Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa acertaram posições quanto à direcção executiva do SNS LUSA/ANTÓNIO COTRIM

Poucas vezes as “negociações” entre Governo e Presidente da República sobre os diplomas legislativos do Governo são tão públicas como aconteceu com o decreto relativo à direcção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Neste caso, Marcelo Rebelo de Sousa foi dando a saber as suas preocupações desde a promulgação do Estatuto do SNS, a 1 de Agosto, até ao dia em que resolveu dar luz verde ao decreto agora publicado. Uma em particular: a autonomia da direcção executiva face ao Ministério da Saúde.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários