Tribunal dos Direitos Humanos iliba justiça portuguesa no caso Maddie

Tribunal de primeira instância chegou a decretar que o ex-inspector da Judiciária pagasse meio milhão de indemnização ao casal McCann por causa do livro e do documentário que fez, mas o Supremo acabou por absolver Gonçalo Amaral. Fez bem, dizem agora juízes de Estrasburgo, descartando violação da privacidade da família.

Foto
Maddie desapareceu em Maio de 2007 ABDELHAK SENNA

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos declarou nesta terça-feira que a justiça portuguesa agiu da forma mais correcta ao ilibar o ex-inspector da Polícia Judiciária Gonçalo Amaral de ter prejudicado os pais de Maddie McCann com o livro que escreveu sobre o desaparecimento da criança.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários