O estranho caso do início do ano letivo que não é

O ministério sabe quantos alunos começam em que data, ou devia saber. No próximo ano letivo, sugiro que se publiquem títulos de jornais com essas percentagens, em vez de anunciar um início que não é.

No domingo, lia-se no PÚBLICO “Aulas começam esta semana. O que muda neste ano lectivo?”. A notícia começava com a frase “aulas começam formalmente a partir de terça-feira”, para que não restassem dúvidas. O DN também avisava, na segunda-feira, “Alunos regressam esta semana às aulas”. Também na segunda-feira, na Visão: “GNR realiza ações de sensibilização nas escolas na semana de regresso às aulas”. E no mesmo dia, o Correio da Manhã preocupava-se - “Faltam professores no regresso às aulas” -, e logo abaixo “diretores avisam para nuvem cinzenta de falta de docentes na semana marcada pelo início do ano letivo”.

Sugerir correcção
Ler 16 comentários