“A morte de Godard é a maior perda”

Reacções de cineastas e investigadores portugueses à morte do “maior criador de sempre”, como diz José Manuel Costa, director da Cinemateca.

Foto
Jean-Luc Godard nas filmagens de "O Desprezo", Itália, 1963 Jean-Louis SWINERS/Gamma-Rapho/ Getty Images

Há qualquer coisa de final, de definitivo, no desaparecimento de Jean-Luc Godard. Quem o diz é José Manuel Costa, director da Cinemateca Portuguesa, em curta conversa telefónica com o PÚBLICO: “A morte de Godard é a maior perda.”

Sugerir correcção
Comentar