Jean-Luc Godard fez o que queria: tornou-se imortal e depois morreu

Pai da Nova Vaga francesa morreu esta terça-feira aos 91 anos, porque assim o quis. Deixa uma obra imensa que marcou gerações.

cultura,nouvelle-vague,jean-lucgodard,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
Jean-Luc Godard ARNAL/URLI/GARCIA/STILLS. (Photo by Pool ARNAL/URLI/GARCIA/Gamma-Rapho via Getty Images),ARNAL/URLI/GARCIA/STILLS. (Photo by Pool ARNAL/URLI/GARCIA/Gamma-Rapho via Getty Images)
cultura,nouvelle-vague,jean-lucgodard,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
Jean-Luc Godard Reuters/Reuters Photographer

O realizador franco-suíço Jean-Luc Godard, pai da Nova Vaga francesa, morreu esta terça-feira aos 91 anos, noticiou o diário Libération, citando fontes próximas do cineasta que não se cansou de inovar, de provocar o espectador e de questionar as dinâmicas tradicionais da narrativa feita com imagens.

Sugerir correcção
Ler 15 comentários