O discurso agressivo “completamente equivocado” de João Lourenço

O Presidente angolano e candidato à reeleição usou termos como “burros”, “bandidos” e “lúmpenes”. Agualusa acha que é contraproducente, José Luís Mendonça lembra a retórica colonial. O ex-secretário de Estado Comunicação Social diz que é “natural” que haja “uma ou outra expressão mais acintosa”.

Foto
Jornalista da Televisão Pública de Angola Nelson Garrido

Seja pelo “desespero”, como afirma José Eduardo Agualusa, seja pela retórica neocolonialista, referida por José Luís Mendonça, a verdade é que no comício de quinta-feira em Benguela, onde estavam 200 mil pessoas, de acordo com a direcção da campanha do MPLA, o Presidente angolano, João Lourenço, endureceu o discurso em relação a quem procura impugnar eleições antes de elas acontecerem e contra pessoas da sociedade civil que interpõem acções populares contra a falta de isenção dos media públicos na cobertura das eleições gerais que se realizam a 24 de Agosto em Angola.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários