As raízes revolucionárias do pânico satânico ainda usado na política americana

O uso do diabo no discurso político norte-americano está bem vivo na campanha eleitoral deste ano. É uma tradição que remonta à Revolução Americana.

Foto
A efígie do diabo num protesto em Los Angeles, em 2011. O uso de Satanás na política norte-americana remonta aos tempos da revolução Reuters

O diabo é popular na cultura política de 2022. A congressista Marjorie Taylor Greene, defendeu em Abril que satanás controla a Igreja Católica e que o aborto é “uma mentira que satanás vende às mulheres”.

Sugerir correcção
Ler 14 comentários