Covid-19: estudo reafirma segurança de vacinas como Moderna e Pfizer durante a gravidez

Novo estudo no Canadá, com quase 200 mil pessoas, volta a confirmar a segurança das vacinas de ARN-mensageiro contra a covid-19. Grávidas têm sido um dos grupos com taxas de vacinação mais baixas, indicam investigadores.

Foto
Não há diferenças significativas de sintomas entre mulheres grávidas e não grávidas após a toma da vacina da covid-19 Paulo Pimenta

Desde o início da pandemia da covid-19, as mulheres grávidas são um dos grupos com maior risco de ter doença grave em caso de infecção. A vacinação contra a covid-19 protege contra efeitos mais graves da doença e, desde a administração das primeiras vacinas de ARN-mensageiro (como as da Moderna e da Pfizer), a sua segurança estava assegurada por ensaios clínicos. Mas os estudos continuaram a ser feitos. Agora, uma investigação canadiana, que envolveu quase 200 mil pessoas, volta a afirmar a eficácia e segurança destas vacinas.

Sugerir correcção
Comentar