Contratação de Sérgio Figueiredo pelas Finanças “deve ser fiscalizada pelo Tribunal de Contas”

Jorge Bacelar Gouveia e Susana Peralta consideram que há “duplicação de funções”, uma vez que já existem, dentro e fora do Ministério de Fernando Medina, outros gabinetes e organismos para trabalhar as políticas públicas.

Foto
Sérgio Figueiredo, ex-director de informação da TVI e actual consultor do Minsitério das Finanças NFS - Nuno Ferreira Santos

A contratação do antigo jornalista e ex-administrador da Fundação EDP Sérgio Figueiredo como consultor do Ministério das Finanças com o salário equiparado a ministro pode “violar o princípio da eficiência” a que estão obrigadas todas as entidades públicas na sua gestão financeira e, por isso, o contrato em causa “deveria ser fiscalizado pelo Tribunal de Contas”. Esta é a opinião do constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia, com a qual concorda a economista especializada em políticas públicas Susana Peralta.

Sugerir correcção
Ler 11 comentários