Morreu Fernando Chalana, um virtuoso do futebol português

Antigo jogador do Benfica e internacional por Portugal tinha 63 anos. Foi um dos criativos mais marcantes das décadas de 1970 e 1980 na Luz.

Foto
Fernando Chalana, antigo jogador do Benfica SL BENFICA

Morreu, nesta quarta-feira, o antigo jogador do Benfica Fernando Chalana, vítima de doença degenerativa. O “pequeno genial”, como ficou conhecido, tinha 63 anos, tendo a morte sido confirmada pelo Benfica, em comunicado publicado no site oficial.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já lamentou a perda de Fernando Chalana, tendo sublinhando o contributo do jogador para o “prestígio internacional do futebol português”, pode ler-se na mensagem publicada no site da Presidência da República.

“O Presidente da República recorda Fernando Chalana, que tanto contribuiu para o prestígio internacional do futebol português, apresentando os seus sinceros pêsames à família e àquelas entidades desportivas, que serviu, com dedicação e entusiasmo, durante tantos anos”, escreveu.​

Natural do Barreiro, Chalana alinhou pela primeira vez pelo Benfica em Março de 1976, poucos dias após ter completado 17 anos. “Até àquela data, nunca ninguém tão jovem havia actuado na 1.ª Divisão portuguesa”, escrevem os responsáveis das “águias”.

Foi, de resto, uma das figuras dos “encarnados” durante largos anos. Veloz, tecnicamente evoluído e quase imparável no um contra um, era um desequilibrador por excelência e foi determinante nos êxitos alcançados pelo Benfica no final da década de 1970 e início de 1980.

Apesar da grande projecção internacional das “águias” nesse período, foi o Campeonato da Europa de 1984, em França, que lhe deu ainda mais dimensão fora de portas. E foi nesse palco que despertou o interesse do Bordéus, ao ponto de o clube gaulês o ter contratado.

Essa transferência permitiu ao Benfica encaixar uma verba importante para concluir as obras do antigo terceiro anel do Estádio da Luz, mas afastou de Lisboa e de Portugal um ícone do futebol nacional. Em França, competiu entre 1984 e 1987, mas a sua afirmação no Bordéus foi prejudicada por sucessivas lesões e problemas extradesportivos.

Chalana no jogo amigável entre Portugal e Jugoslávia em Junho de 1984. Portugal perdeu 2-3 ASF
Fernando Chalana durante um jogo do Benfica, a 6 de Maio de 1984 Manuel Moura/Lusa
Treino do Benfica na pré-época 2005/6 Nuno Ferreira Santos
Chalana e Jesualdo Ferreira durante o treino no Estádio Universitário, 3 de Janeiro de 2002 PEDRO FERRARI / ASF
Época 2002/03, no Estádio Universitário em Lisboa ANDRÉ ALVES /asf
Chalana e António Simoões, chefe do Departamento de Futebol do Benfica Miguel Nunes
Treino no Estádio Universitário SERGIO SANTOS/ ASF
Jesualdo Ferreira e Chalana, durante o jogo do Benfica com o Maritimo, em Janeiro de 2002 David Clifford
Jogo com oBelenenses no Estádio da Luz, 26 de Abril de 2008 Marcos Borga/Reuters
Treino da equipa do Benfica com Fernando Santos e Chalana, Julho 2002 Daniel Rocha
Rui Costa, Fernando Santos e Chalana, 11 Abril 2007 Nuno Ferreira Santos
SL BENFICA
SL BENFICA
Sporting Clube de Portugal
Fotogaleria

Futebolista morreu esta quarta-feira aos 63 anos.

PÚBLICO

Regressaria a Portugal e ao Benfica, antes de rumar ao Belenenses e encerrar a carreira no Estrela da Amadora, em 1992, aos 33 anos, já praticamente sem ter conseguido mostrar sequer um vislumbre do seu verdadeiro futebol.

Com a alcunha de “Chalanix”, colada ao universo da banda desenhada e em particular de Astérix, somou 27 jogos pela selecção nacional (com dois golos), entre 1976 e 1988. Depois de pendurar as chuteiras, continuou ligado ao universo benfiquista.

Enquanto treinador, teve uma carreira bem mais curta e discreta, com uma breve passagem pelo Oriental e alguns jogos ao leme da equipa principal do Benfica, em fases de transição e no papel de interino. Mas onde se sentia como peixe na água era dentro de campo. E são os seus raides à boleia de um invulgar pé esquerdo que ficarão na memória.

As reacções do mundo do futebol

Além do Benfica, as reacções à morte do antigo jogador do Benfica têm chegado de diferentes quadrantes. O Sporting apelidou o antigo internacional de “uma grande figura do futebol português”, enquanto o Belenenses lembrou a ligação do “genial” futebolista ao clube, cujas cores vestiu em 1990-91.

“Descansa em paz, Fernando Chalana” pode ler-se na mensagem do clube de Alvalade deixada na rede social Twitter, onde o antigo jogador do Benfica surge com o antigo jogador do clube Rui Jordão, ao serviço da selecção nacional.

O Estrela da Amadora, clube no qual Chalana terminou a carreira em Dezembro de 1991, destacou o jogador de “excelência que representou Portugal nos maiores palcos e terminou a sua carreira de tricolor ao peito”. “A todos os familiares e amigos, o CF Estrela da Amadora endereça as mais sentidas condolências”, acrescenta a mensagem.

O Bordéus também fez questão de assinalar com tristeza a morte do antigo internacional, que representou o clube francês de 1984-85 a 1986-87. “O clube tomou conhecimento com tristeza do falecimento de Fernando Chalana. O Bordéus envia as suas mais sentidas condolências à família e entes queridos”, referem os ‘girondinos’.

O antigo futebolista do Benfica, João Alves, recordou o colega de equipa como “um ser humano fantástico” e “um dos grandes jogadores que Portugal teve”.

“Era um daqueles companheiros que ninguém se chateava com ele, estava sempre tudo bem para ele. Sempre um grande companheiro, uma pessoa bem formada. Um grande jogador, isso todos sabemos, dos grandes jogadores que Portugal teve”, afirmou em declarações à agência Lusa.

“Sempre bem-disposto, brincalhão” e “sem maldade nenhuma”, Fernando Chalana foi, para João Alves, “um ser humano fantástico, incrível”, com quem partilhou o balneário durante quatro anos, formando aquele que foi, na sua opinião, “o melhor meio-campo” de todos os que participou na sua carreira.

Paulo Futre lamentou a “perda do grande ídolo” e “maior referência e inspiração”. “O meu grande ídolo, Fernando Chalana, faleceu hoje. O pequeno grande génio. Sempre será a minha maior referência e inspiração. Os meus mais sinceros pêsames para a família. Até sempre Mito”, escreveu o ex-jogador que representou Sporting, FC Porto e Benfica, além de Atlético de Madrid e AC Milan, entre outros clubes estrangeiros.

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes lamentou a perda do ‘pequeno génio’ que espalhou magia e arte pelos campos de futebol, e conquistou a admiração de todos os apaixonados do desporto”. O seleccionador português, Fernando Santos, confessou a “enorme alegria” que sentia sempre que defrontava Fernando Chalana, “um dos maiores jogadores portugueses de sempre”.

“Foi um enorme prazer vê-lo jogar, foi um dos maiores jogadores portugueses de sempre. Foi um enorme orgulho defrontá-lo, um dos jogadores que mais dificuldades me criou em campo. Era sempre uma alegria enorme jogar contra ele”, declarou, numa mensagem publicada no site oficial da FPF.

Fernando Santos salientou ainda a “grande amizade” que formou durante a sua passagem pelo comando do Benfica, entre 2006 e 2007. “A nossa grande amizade reflectiu-se também quando foi meu colaborador no Benfica. Recordo-o com muita saudade. Que descanse em paz, eu vou lutar para que a sua alma descanse em paz. Ele bem o merece. Um abraço forte, amigo Chalana”, acrescentou.

Sugerir correcção
Ler 17 comentários