Antídoto para (alguns) males dos tempos modernos

Ao invés do tribalismo das redes sociais, os clubes de leitura são espaços onde as pessoas vão para se construir umas com as outras. A pluralidade é uma alegria, em vez de um motivo de ataque.

Foto
Teresa Pacheco Miranda

Nestes tempos de divisão, discórdia e ataques tribais às opiniões diferentes, dei por mim a descobrir o oásis dos encontros de leitura. Ao longo de vários meses a pandemia trouxe um deserto de contacto humano, um vazio que se encheu pela via menos esperada — o Zoom — quando arrancaram, no início de 2021, os clubes do livro Encontro de Leituras, que reúne o PÚBLICO e a Folha de S. Paulo, e Heróides, organizado pela estrutura Cassandra, criado pela actriz Sara Barros Leitão.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários