Rússia quer ficar com o Sul da Ucrânia

Há muito que a Rússia vem consolidando o seu poder nas regiões de Kherson e Zaporijjia, mas as palavras de Lavrov abrem caminho a uma anexação total num momento de “descontentamento crescente” entre analistas militares russos favoráveis à guerra.

Foto
Serguei Lavrov, ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia Reuters/POOL

A Rússia tem insistido desde o início da guerra na Ucrânia que tem objectivos muito concretos e limitados na sua “operação militar especial”, que passam pela “desnazificação” do país vizinho e por defender as vítimas de um alegado “genocídio” no Donbass. Sem alterar uma vírgula nesses propósitos enunciados por Vladimir Putin logo na alvorada do conflito, o seu ministro dos Negócios Estrangeiros admitiu esta quarta-feira pela primeira vez que a presença política e militar russa vai consolidar-se noutras zonas da Ucrânia, sobretudo a Sul.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários