Em ano simbólico, Portugal e Brasil em diálogo na Bienal do Livro de São Paulo

Portugal é o país convidado da 26.ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que abre neste sábado. A curadoria da programação do Pavilhão de Portugal é da jornalista Isabel Lucas. Com o apoio à edição da DGLAB, 68 obras de autores portugueses chegam às livrarias brasileiras.

Foto
Naquela que é uma das mais importantes feiras do livro brasileiras, Portugal dispõe de uma área de 500 metros quadrados num total de 70 mil DR

A Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Brasil, volta a ser presencial e o regresso do evento, depois do cancelamento por causa da pandemia de covid-19, tem Portugal como país convidado no ano em que se comemora o bicentenário da Independência do Brasil. “É simbólico de alguma maneira”, diz a escritora e jornalista colaboradora do PÚBLICO Isabel Lucas, curadora da programação que leva ao Brasil uma comitiva de 21 convidados.

Sugerir correcção
Comentar