Guerra aberta entre os que querem impedir e proteger o aborto nos EUA

Califórnia, Washington e Oregon lançam o “ataque da Costa Oeste”, preparando-se para proteger médicos e pacientes vindos de outros estados que realizem interrupções voluntárias de gravidez no seu território.

Foto
Estavam previstos protestos contra a decisão do Supremo em mais de 70 cidades ao longo do fim-de-semana ELIZABETH FRANTZ/Reuters

A última decisão do Supremo Tribunal dos Estados Unidos desencadeou de imediato muito mais do que a fúria e a angústia dos que defendem o direito ao aborto e o sentimento de terem visto reconhecida a sua razão e a sua luta por parte dos que se opõem. Os juízes da mais alta instância judicial norte-americana devolveram a autoridade para regular sobre a questão aos eleitos e estes estavam prontos: Califórnia, Washington e Oregon lançaram já o chamado “ataque da Costa Oeste”, aliando-se para proteger os direitos reprodutivos; ao mesmo tempo, 13 estados já reclamaram ter banido as interrupções voluntárias de gravidez.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários