Casa da Música: privilegiar a música erudita ou dar palco às outras músicas?

A entrevista de Pedro Burmester sobre o equipamento portuense mobilizou um debate que nem toda a gente parece disponível para alimentar, entre a atenção à música erudita e a reivindicação de mais palco para outros géneros.

Foto
maria joão gala

Nos últimos anos, a Casa da Música afastou-se do seu projecto original e deixou cavar um fosso entre a música erudita e a música não-erudita, hipotecando o crescimento e uma maior diversificação dos seus públicos. Esta radiografia crítica feita por Pedro Burmester à realidade actual da instituição portuense colhe o consenso das poucas pessoas que aceitaram falar ao PÚBLICO sobre a entrevista que o pianista que esteve na origem do projecto-emblema da Porto 2001 – Capital Europeia da Cultura deu há uma semana.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários