Costa recusa ambiguidade mas põe condições para adesão da Ucrânia à UE

Primeiro-ministro afirma que Portugal vai acompanhar recomendação da Comissão Europeia, mas alerta para necessidade de revisão da arquitectura institucional e financeira da UE. E sublinha que estatuto de candidato “não resolve nenhum problema dos ucranianos”.

Foto
António Costa diz estar mais concentrado "nas questões pr+aticas" que nas "juridicas" LUSA/MIGUEL A. LOPES

Sem qualquer ambiguidade, o primeiro-ministro afirmou esta sexta-feira que Portugal acompanhará o parecer da Comissão Europeia para aceitar a candidatura da Ucrânia e da Moldova à União Europeia. Mas também irá deixar claro, no Conselho Europeu da próxima semana, que qualquer processo de alargamento tem de ser acompanhado de “uma reflexão sobre a arquitectura institucional e financeira da UE”, para que não haja no futuro “ricochetes sobre a credibilidade” europeia.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários