Stéphane Brizé: operário dos sentimentos

Ao encerrar a sua trilogia sobre o mundo do trabalho, após A Lei do Mercado e Em Guerra, Stéphane Brizé regressa aos seus inícios: o de operário dos sentimentos. Um Outro Mundo junta Vincent Lindon e Sandrine Kiberlain, o par do romantismo tardio de Mademoiselle Chambon.

Foto
Mademoiselle Chambon

Um Outro Mundo (2021) encerra a trilogia do cineasta francês Stéphane Brizé sobre o mundo do trabalho procurando um efeito de simetria com a forma como tudo começou em 2015, A Lei do Mercado. O momento em que a personagem interpretada por Vincent Lindon explicita que sente vergonha do homem em que se tornou remete para a tomada de consciência em A Lei do Mercado, também por alturas da conclusão ou resolução do filme, quando a sua personagem afirma a sua dissidência, recusa transformar-se no homem que “eles” querem que ele se torne — “eles”, o sistema, o mecanismo que o integrou no mercado.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários