Óbitos entre parênteses

A informação televisiva tende a preferir eventos que são maiores do que outros eventos do mesmo género.

Não é uma observação especialmente perspicaz, mas a primeira coisa que se nota ao acompanhar a cobertura noticiosa de mais um tiroteio nos Estados Unidos é quão parecida é com a cobertura noticiosa de tiroteios anteriores. Há poucas coisas que a informação televisiva faça melhor do que gerar gramáticas próprias para cada tipo de evento e, quando se trata de tiroteios, a experiência acumulada deu frutos evidentes. Esta terça-feira, depois do incidente numa escola primária no Texas, as horas de emissão contínua na CNN americana mostraram uma síntese primorosa do género.

Sugerir correcção
Ler 24 comentários