Do sonho ao desânimo. PSD caminha para 11 anos na oposição

Mais de 44 mil militantes escolhem este sábado o novo líder do PSD. A campanha não gerou interesse interno nem mediático. O PSD parece quase esquecido da vitória autárquica de Setembro de 2021. Desde então sonhou com o governo mas acabou esmagado pela maioria absoluta do PS.

Foto
O congresso de Dezembro mostrou um partido mobilizado as eleições legislativas de Janeiro deste ano Anna Costa

Há oito meses, o PSD festejava a surpreendente vitória de Carlos Moedas em Lisboa e outras conquistas autárquicas no país. Há sete meses, já estava mergulhado em mais uma guerra interna em torno de uma disputa de liderança. Há cinco meses, o líder reeleito era consagrado num congresso promovido como rampa de lançamento para as legislativas antecipadas. Há quatro meses, a onda laranja parecia agigantar-se para sacudir seis anos de poder rosa. Acabou surpreendida por uma maioria absoluta do PS. É neste cenário de desolação que cerca de 44.400 militantes escolhem, este sábado, um novo líder do partido entre Luís Montenegro e Jorge Moreira da Silva.

Sugerir correcção
Ler 18 comentários