Acabou a lua-de-mel dos chilenos com Boric e com a futura Constituição

A popularidade do Presidente recém-eleito caiu a pique nos primeiros dois meses desde a tomada de posse. O processo constituinte também está em crise.

Foto
A popularidade de Boric tem caído de forma acentuada nos primeiros meses da sua presidência IVAN ALVARADO / Reuters

Quando tomou posse como Presidente chileno, Gabriel Boric corporizava os anseios de uma parte significativa da população que rejeitava o modelo político, social e económico vigente desde a redemocratização, visto como desigual, racista, sexista e conservador. O antigo líder estudantil de 36 anos era também um representante proeminente do espírito com que a nova Constituição, desenhada para enterrar definitivamente a era de Pinochet, passou de desejo a realidade em construção. Isto era verdade a 11 de Março, dia da posse. Dois meses depois, o cenário parece diametralmente oposto.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários