Não abortem o aborto

Forçar uma mulher a manter uma gravidez que não deseja é das maiores violências que se podem cometer sobre o seu corpo.

Em 2018, o governo republicano do Mississipi mudou a lei do aborto, restringindo o acesso às mulheres grávidas de mais de 15 semanas. Esta lei foi suspensa por decisão judicial, por ser contrária à decisão Roe vs. Wade, de 1973, que resulta do caso de Jane Roe, nome falso sob o qual a texana Norma McCorvey procurou junto do Supremo Tribunal dos EUA o direito a abortar, alegando a inconstitucionalidade da lei do Texas. Os juízes do Supremo decidiram que o aborto é legal até à idade em que o feto é viável (24 semanas), uma decisão que tem sido usada como jurisprudência para garantir o direito ao aborto, como recentemente no caso da lei do Mississipi.

Sugerir correcção
Ler 14 comentários