A pensar trocar de cabeleireiro? Saiba como terminar uma relação circunstancial sem magoar ninguém

Ser breve, assertivo e estabelecer limites são alguns dos conselhos de especialistas para quando se pretende quebrar um vínculo não afectivo, como o que se tem com um babysitter, terapeuta ou cabeleireiro.

Foto
As relações circunstanciais são frequentemente a teia que nos liga à nossa rotina diária e às nossas comunidades Unsplash/ Adam Winger

Sempre que um cliente sobe os degraus da barbearia Lady Clipper, em Washington D.C., EUA, a proprietária do espaço, Lesley Bryant, sabe que lhes está a dar muito mais do que um corte de cabelo. “Não estou apenas a trabalhar com o que está em cima da cabeça deles, mas também com o que está dentro”, considera. E, aos clientes habituais, Bryant dá um tratamento diferente, dizendo: “Bem-vindos a casa”.

Sugerir correcção
Comentar