Sê gentil 2022, estamos todos muito cansados

Tudo o que eu não quero é que este Janeiro que nos espreita vista a mesma roupagem que o Janeiro que o antecedeu. Não quero voltar a trabalhar em condições-limite. Não quero voltar a sentir que perdi o controlo e que é o cansaço que me comanda.

Quando, em Janeiro de 2021, me convidaram para integrar a equipa de enfermagem de uma estrutura de apoio de retaguarda de covid, aceitei sem grandes medos ou hesitações. Nunca me passou pela cabeça que existisse alguma situação que não conseguisse gerir, cheia de mim que estava por tantos anos de experiência em cuidados intensivos. Só que, como costuma dizer a minha irmã mais velha, a vida é macaca e, com pouca ou nenhuma delicadeza, deu-me um valente estalo de realidade sem sequer fazer o obséquio de calçar uma luva branca.

Sugerir correcção
Ler 10 comentários