La Poésie du Portugal: uma antologia francesa que fazia cá falta

O tradutor e poeta Max de Carvalho organizou para as edições Chandeigne uma monumental e pessoalíssima antologia bilingue da lírica portuguesa que pede para ser lida de fio a pavio.

Foto
Dos trovadores medievais a Camões, de Cesário Verde a Pessoa, Sophia ou Herberto Helder: são mais de mil poemas de 286 autores montagem PÚBLICO

Com o título simultaneamente lacónico e audaz de La Poésie du Portugal, as edições parisienses Chandeigne acabam de lançar uma extensa antologia bilingue da poesia portuguesa organizada pelo poeta e tradutor Max de Carvalho. São quase duas mil páginas, que dão a ler mais de mil poemas de 286 autores, começando em Pai Soares de Taveirós, um dos primeiros trovadores galaico-portugueses, e terminando uns 800 anos depois em Nuno Júdice, nascido em 1949. Resumindo esta empreitada em duas palavras, trata-se de uma magnífica extravagância.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários