Representação nacional na Bienal de Veneza pendente da ministra da Cultura

Apoiado por uma carta aberta, o curador Bruno Leitão, que propôs a concurso a artista Grada Kilomba, já entregou um recurso hierárquico pedindo a revisão do polémico processo de selecção de que saiu vencedor Pedro Neves Marques. Ministério da Cultura tem agora 30 dias para responder.

Foto
Grada Kilomba ficou em segundo lugar no concurso, atrás de Pedro Neves Marques Joao Hasselberg

O curador Bruno Leitão já entregou ao Ministério da Cultura (MC) o recurso hierárquico que pede a revisão do resultado do concurso de selecção do artista que vai representar Portugal na 59.ª Bienal de Arte de Veneza, em 2022. O recurso foi entregue na sexta-feira e o MC tem agora 30 dias para responder à argumentação da equipa de Bruno Leitão, que representa a artista Grada Kilomba, classificada em segundo lugar, a seguir a Pedro Neves Marques, no concurso por convite organizado pela Direcção-Geral das Artes (DGArtes).

Sugerir correcção
Ler 19 comentários