OMS reconhece vantagens em vacinar crianças mas diz que a prioridade deve ser dada aos grupos de risco

Recomendação da Organização Mundial da Saúde diz que a vacinação dos mais jovens permite não encerrar as escolas, o que lhes traz benefícios. Mas, vacinando as pessoas mais velhas, reduz-se muito mais o risco de haver doença grave e morte.

Foto
Vacinação contra a covid-19 de crianças palestinianas em Hebron ABED AL HASHLAMOUN/EPA

Enquanto se aguarda uma decisão da Agência Europeia de Medicamentos sobre a vacinação de crianças dos cinco aos 11 anos contra a covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um parecer em que reconhece haver vantagens “que vão para além dos benefícios directos para a saúde” em vacinar crianças contra a covid-19. “Minimizar as perturbações na educação para as crianças e a manutenção do seu bem-estar, saúde e segurança são considerações importantes”, diz a OMS. Mas não dá um apoio taxativo a esta estratégia.