“O grande desafio é que Portugal tenha capacidade de produzir e operar satélites”

O Space Rider, um veículo europeu que vai aterrar na ilha de Santa Maria, a base espacial nos Açores e uma constelação de satélites portuguesa são alguns dos temas em conversa com Ricardo Conde, presidente da Agência Espacial Portuguesa.

Foto
Ricardo Conde, presidente da Agência Espacial Portuguesa DR

Esta sexta-feira, os ministros dos países-membros da Agência Espacial Europeia (ESA) reúnem-se em Matosinhos, no CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, para uma reunião de preparação do próximo Conselho Ministerial da agência, em Novembro de 2022 em Paris. No final do próximo ano, os ministros encontrar-se-ão para tomar decisões sobre os programas espaciais da Europa e o seu financiamento para três anos, até 2025. A reunião em Matosinhos, onde estará Manuel Heitor, serve de pretexto para falarmos com presidente da Agência Espacial Portuguesa (Portugal Space): Ricardo Conde, além de traçar um panorama das discussões a nível europeu para o espaço, dá conta de que uma das ambições do país na área espacial é o desenvolvimento de uma constelação de satélite de órbita baixa. “Queremos que Portugal se posicione na utilização de dados de observação da Terra”, diz a esse propósito.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários