Caetano, nove anos para nova obra-prima

Nove anos depois, Abraçaço tem em Meu Coco um herdeiro à altura do génio de Caetano Veloso, cuja arte se vem refinando com o tempo.

Foto
À medida que a idade avança, Caetano parece cada vez mais avesso a vulgaridades DR

Batidas pulsantes e vigorosas, tambores ecoando a Bahia, orquestrações de subtis filigranas, poesia esculpida num manejo superior da palavra sugerindo leituras múltiplas, um labirinto de sons e cores que se enriquecem a cada nova audição: é este o Caetano de Meu Coco, que no pós-pandemia nos trouxe nova obra-prima, justa herdeira do celebrado Abraçaço (2012).

Sugerir correcção
Comentar