Prisão preventiva para suspeitos da morte de jovem na estação das Laranjeiras

A vítima, de 19 anos, foi atacada na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, na quarta-feira.

Foto
Fábio Augusto

Os quatro suspeitos da https://www.publico.pt/2021/10/20/local/noticia/jovem-morre-apos-esfaqueado-estacao-metro-laranjeiras-lisboa-1981819https://www.publico.pt/2021/10/20/local/noticia/jovem-morre-apos-esfaqueado-estacao-metro-laranjeiras-lisboa-1981819 na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa, ficaram esta sexta-feira em prisão preventiva, depois de presentes a primeiro interrogatório judicial, disse à agência Lusa fonte da Polícia Judiciária.

Os quatro arguidos, com idades entre os 18 e os 19 anos, foram presentes durante a tarde e noite de hoje a um juiz no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa e ficaram todos sujeitos à medida de coação mais gravosa: prisão preventiva.

Segundo a mesma fonte da PJ, todos os arguidos ficaram indiciados pelo crime de homicídio qualificado.

O crime foi cometido quando a vítima, de 19 anos, circulava na estação de metro das Laranjeiras, na quarta-feira, tendo o jovem sido violentamente agredido com uma arma branca, com lesões graves que acabaram por resultar na sua morte.

Em conferência de imprensa realizada na tarde de quinta-feira, o coordenador de Investigação Criminal da PJ, Pedro Maia, sem avançar com muitos detalhes da motivação para este crime, adiantou apenas que teve origem em “quezílias entre pessoas que se conheciam e que viviam em zonas diferentes da Área Metropolitana de Lisboa”.

“Este crime ocorreu numa estação de metropolitano como poderia ter ocorrido na via pública. Aconteceu ali porque foi ali que as pessoas se encontraram”, sublinhou, apelando para que as pessoas não tenham receio de andar de transportes públicos.